CONFIRA COMO FOI A OPERAÇÃO ADEREX II REALIZADA PELA MARINHA DO BRASIL

 

O AeroDefesaNaval cobriu com exclusividade a edição deste ano da ADEREX-ANFÍBIO, nosso editor esteve entre os dias 3 e 6 de julho acompanhando este importante exercício da nossa Marinha do Brasil, e você confere conosco o trabalho de nossos militares.




Embarcamos no NDCC “Almirante Saboia” no Porto de Vitória no domingo (3), conhecemos este navio de desembarque de carros de combate, o qual transportou a bordo viaturas blindadas “Piranha IIIC”, Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf), além de viaturas de apoio logístico.







Suspendemos na segunda-feira (4) e rumamos com destino ao través da praia de Itaoca, localizada na cidade de Marataízes -ES, onde foi realizado o exercício de incursão anfíbia. Tudo começou muito cedo, e logo nas primeiras horas da manhã de terça-feira (5), a praia capixaba foi tomada de assalto por um destacamento de fuzileiros navais e suas viaturas, no contexto do “tema tático” que definiu os objetivos da missão, onde o objetivo da incursão anfíbia era resgatar cidadãos de um zona hostil, com a finalidade enviá-los em segurança de volta ao seu país de origem.


Uma Incursão Anfíbia trata-se de uma rápida penetração, ou mesma a ocupação temporária de um objetivo no litoral inimigo ou zona de interesse, que após cumprir os objetivos determinados pela missão, realiza uma retirada planejada dos meios e pessoal empregados de forma segura. Esse tipo de ação pode ter diversos objetivos e efeitos, como destruir ou neutralizar posições adversárias, apoiar forças amigas, realizar reconhecimento de uma área e obter informações, capturar, evacuar e resgatar pessoal e/ou material.


















A Operação é complexa e exige uma intensa sinergia entre os meios da Esquadra, Força de Fuzileiros Navais e a Aviação Naval. Esta última teve papel importante na infiltração de forças especiais, inclusive com infiltração noturna através da técnica de “Thetered Duck” com emprego de Óculos de Visão Noturna (OVN), realizado por uma aeronave UH-15 “Super Cougar” do EsqdHU-2 Pégasus. Essa técnica é um verdadeiro desafio, onde uma equipe de operadores do “Batalhão Tonelero” desembarca uma EDPN (Embarcação de Desembarque Pneumática), inflando ela em pleno oceano e depois a tripulando com o grupo de combate que realizará a incursão afim de cumprir a missão designada. Nós tivemos a oportunidade de acompanhar o emprego dessa técnica recentemente na Operação Furnas.



Apesar de ser uma operação em escala reduzida, com fins de adestramento, é possível ter uma noção da capacidade que nossa força naval possui de projetar poder sobre terra. Há todo um trabalho sincronizado entre os meios navais, a Força de Fuzileiros e os meios aéreos.










Tal exercício é parte de um calendário de exercícios, que seguem uma escala crescente de complexidade, e mantém o alto grau de prontidão das Unidades da Esquadra e da Força de Fuzileiros da Esquadra (FFE), garantindo a capacidade expedicionária e de pronto emprego da Marinha do Brasil e sua Força de Fuzileiros da Esquadra.

Participaram da ADEREX-Anfíbio os seguintes meios: Navio Doca Multipropósito (NDM) Bahia, o Navio de Desembarque de Carros de Combate (NDCC) Almirante Saboia, os quais serviram de plataforma para projeção de tropas e meios pelo mar, com lançamento de oito Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf), além do emprego de Embarcações de Desembarque de Viaturas e Pessoal (EDVP), que realizaram parte do movimento navio-terra, levando para praia viaturas e blindados, por ar participaram cinco aeronaves, além da participação do Navio-Patrulha Oceânico (NPaOc) APA.


A Força Aeronaval esteve presente com duas aeronaves UH-15 "Super Cougar" do EsqdHU-2 "Pegasus", uma aeronave SH-16 "Seahawk" do EsqdHS-1 "Guerreiro", uma aeronave HU-12 "Esquilo" do EsqdHU-1 "Águia" e uma aeronave AH-11B "WildLynx" do EsqdHA-1 "Lince".








Com certeza esta foi uma experiência incrível e vocês podem conferir em nossas imagens um pouco mais de todo trabalho realizado durante este exercício, e em breve vem mais, pois estaremos presentes na Operação Formosa 2022, que este ano promete trazer muitas novidades, a começar pelo aumento no número de militares destacados, passando dos 3 mil este ano.

Confira o vídeo da ADEREX II


Confira mais fotos da Operação Aderex II:















































Agradecimento: O Aerodefesanaval  agradece o convite da Marinha do Brasil para mais uma cobertura de um exercício tão importante quanto a ADEREX II

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.